PUBLICADO EM: 17/06/2022

Mural do Bosque – Effe

Capa

Rock in Rio Lisboa, Nações Unidas e a Câmara Municipal de Lisboa desafiam artistas urbanos a “pintarem” a Sustentabilidade em murais da Cidade do Rock 

 

Nesta pintura mural encontram-se ilustrados elementos que representam as alterações climáticas, com foco na fauna e flora existentes e também as energias renováveis, aqui representados com a força da água e ondas. As cores, linhas fortes e elementos que interagem entre si, têm como objetivo chamar a atenção de quem vê este mural para as questões das energias renováveis e das alterações climáticas, dois pontos muito importantes para todas as espécies que habitam o planeta. 

Effe é um artista multi-discipilinar nascido no Alentejo. No seu trabalho ilustra as interações entre o ser humano e o ambiente que o rodeia, usando cores contrastantes e linhas fortes. Atualmente o seu trabalho divide-se entre projetos de street art e tatuagem. Podes encontrar os seus projetos no Instagram em @effe.news ou no site www.effe.news 

  

As ODS’s presentes no Mural 

 

ODS 6 – Água potável e saneamento 

A escassez de água afeta mais de 40% das pessoas, um número que se prevê que aumente à medida que as temperaturas aumentam também. Embora 2,1 mil milhões de pessoas tenham melhorado o saneamento da água desde 1990, a escassez do abastecimento de água potável está a afetar todos os continentes. Até 2050, prevê-se que pelo menos uma em cada quatro pessoas venha a sofrer de escassez de água recorrente. 

 

Situação em Portugal*: 

No ODS 6 “Água potável e saneamento”, os indicadores disponíveis apresentam uma tendência maioritariamente favorável. A percentagem de pessoas sem instalações sanitárias apropriadas nos seus lares está a diminuir. A percentagem de água segura e a proporção de alojamentos servidos por abastecimento de água aumentaram. Em termos de cooperação internacional, as bacias fluviais e lacustres transfronteiriças são abrangidas por um acordo operacional de cooperação e o montante de Ajuda Pública ao Desenvolvimento na área da água e do saneamento aumentou em 2020, face a 2015. 

 

O que o RIR faz: 

– Analisamos regulares à qualidade da água, espalhámos bebedouros pela Cidade do Rock; 

– Desenvolvemos o projeto de reflorestação da bacia do rio Guandu, no Rio de Janeiro e na Amazônia, na Bacia do Rio Xingu; 

– Construímos da rede de saneamento no Parque da Bela Vista. 

 

O que tu podes fazer: 

– Lê um livro sobre água para melhorar a tua compreensão sobre o seu impacto na sociedade, na economia e no nosso planeta; 

– Poupa, poupa, poupa. Se sobrar gelo da tua bebida, não deites fora. Aproveita para regar as plantas; 

– Repara as fugas de água em tua casa. Uma torneira que pinga pode desperdiçar mais de 11 mil litros por ano. 

 

ODS 13 – Ação Climática 

Não há um país que não esteja a sofrer os efeitos das alterações climáticas. As emissões de gases com efeito de estufa são mais 50% do que em 1990. O aquecimento global está a causar alterações duradouras no sistema climático, o que pode ter consequências irreversíveis. 

As perdas económicas médias anuais resultantes de catástrofes relacionadas com o clima situam-se nas centenas de milhares de milhões de euros, não esquecendo o impacto humano dos desastres geofísicos, que estão 91% relacionados com o clima, e que entre 1998 e 2017 mataram 1,3 milhões de pessoas e causaram 4,4 mil milhões de feridos. 

 

Situação em Portugal*: 

A avaliação global de progresso em direção ao ODS 13 é maioritariamente favorável. Embora, de acordo com as estimativas provisórias para 2020, Portugal tenha reduzido as suas emissões de gases com efeito de estufa em 1,5% desde 1990 e 32,9%, desde 2005, serão necessários mais progressos para cumprir a meta de redução de 55% (face a 2005) até 2030. Em 2020 o decréscimo das emissões de GEE foi acentuado, derivado da situação pandémica que teve início nesse ano e que determinou um decréscimo da atividade económica e da circulação dos vários modos de transporte. Note-se que esta avaliação é baseada em progressos passados e não tem em conta desenvolvimentos posteriores. Como observado no ODS 1, a situação pandémica condicionou o número de mortes atribuídas a catástrofes, que subiu significativamente em 2020. 

 

O que o RIR faz: 

– Compensamos a pegada carbónica; 

– Temos plano de mobilidade para redução da pegada carbónica do público; 

– Temos geradores que consomem menos 10% de combustível em relação a 2018. 

 

O que tu podes fazer: 

– Deixa o teu cabelo e as tuas roupas secarem naturalmente; 

– Desliga a televisão, computadores e outros aparelhos eletrônicos que não estiverem a ser usados; 

– Compra apenas o que é necessário. Cerca de 20% a 50% dos alimentos que compramos acaba em aterros sanitários. 

 

ODS 14 – Proteger a Vida Marinha 

Os oceanos – a sua temperatura, química, correntes e vida – impulsionam sistemas globais que tornam a Terra habitável para a humanidade. Mais de três mil milhões de pessoas dependem da biodiversidade marinha e costeira para a sua subsistência. No entanto, hoje em dia, 30% dos stocks mundiais de peixe são sobre explorados, ficando abaixo do nível a que podem produzir rendimentos sustentáveis. 

Os oceanos absorvem cerca de 30% do dióxido de carbono produzido pelo ser humano e assiste-se a um aumento de 26% na sua acidificação desde o início da revolução industrial. A poluição marinha, cuja esmagadora maioria provém de fontes terrestres, está a atingir níveis alarmantes, com uma média de 13.000 pedaços de lixo plástico a serem encontrados em cada quilómetro quadrado de oceano. 

 

Situação em Portugal*: 

Os dados disponíveis para o ODS 14 têm ainda um âmbito limitado, o que condiciona a avaliação global. Portugal tem uma classificação máxima no indicador grau de implementação de instrumentos internacionais destinados ao combate da pesca ilegal, não declarada e não regulamentada, e o indicador do grau de aplicação de um enquadramento. legal/regulamentar/político/institucional que reconhece e protege o direito de acesso da pequena pesca aumentou. Numa nota menos positiva, é de referir que tem vindo a diminuir a proporção do investimento em I&D em tecnologia marinha no total de investimento em produtos de propriedade intelectual. 

 

O que o RIR faz: 

– O nosso plano de gestão de resíduos permite encaminhar corretamente os resíduos não acabando nos oceanos; 

– Proibimos palhinhas de plástico; 

– Encaminhamos corretamente os óleos alimentares para reciclagem. 

 

O que tu podes fazer: 

– Consome alimentos locais sustentáveis; 

– Usa menos produtos de plástico, pois geralmente acabam nos oceanos causando a morte de animais marinhos; 

– Utiliza o teu lava-louças e máquina de lavar apenas quando estiverem cheios. 

 

ODS 15 – Proteger a Vida Terrestre 

A vida humana depende tanto da terra como do oceano para o seu sustento e subsistência. A vida vegetal fornece 80% da dieta humana, o que faz da agricultura um importante recurso económico. As florestas cobrem 30% da superfície terrestre, fornecem habitats para milhões de espécies e são importantes fontes de ar e água limpos, além de fundamentais para combater as alterações climáticas. 

Todos os anos, 13 milhões de hectares de florestas são perdidos, enquanto a degradação persistente das terras secas levou à desertificação de 3,6 mil milhões de hectares, afetando desproporcionalmente as comunidades mais pobres. 

 

Situação em Portugal*: 

Os dados disponíveis para o ODS 15 têm uma disponibilidade e atualidade limitada, o que condiciona a avaliação global, mas a informação disponível é maioritariamente favorável. Portugal encontra-se entre os países que adotaram quadros legislativos, administrativos e políticos para assegurar a partilha justa e equitativa de benefícios; detendo legislação nacional relevante e afetado recursos adequados para a prevenção ou o controle de espécies exóticas invasoras. Detém uma Estratégia e Plano de Ação Nacional no domínio da Biodiversidade, tendo estabelecido metas nacionais de acordo com a Meta 2 de Biodiversidade de Aichi, do Plano Estratégico para a Biodiversidade 2011-2020. Os valores de biodiversidade encontram-se integrados nos sistemas nacionais de contas, definidos com a implementação do Sistema de Contas Económico-Ambientais. A Ajuda Pública ao Desenvolvimento (APD) destinada à biodiversidade observou uma tendência favorável, contrariamente à APD destinada à silvicultura. 

 

O que o RIR faz: 

– Temos equipas de limpeza que limpa em permanência a Cidade do Rock; 

– Exigente plano de gestão de resíduos; 

– Já plantámos mais de 3,9 milhões de árvores em Portugal, Brasil e USA. 

 

O que tu podes fazer: 

– Consome alimentos sazonais, uma vez que que sabem melhor, são mais baratos e ecológicos; 

– Recicla papel e evita usá-lo sempre que possível; 

– Compra produtos reciclados.
 

 

Podes ver mais informações emObjetivos de Desenvolvimento Sustentável – ONU Portugal (unric.org)

OUTRAS NOVIDADES