Semba, kilapanga, funaná, coladeira, rumba, jazz, rock, afro-punk, kwaito e kuduro são alguns dos ritmos que vão pela EDP Rock Street em 2018, com um cartaz dedicado às músicas do mundo.

Bonga, Selma Uamusse, Ferro Gaita, Moh! Kouyaté, Paulo Flores, Nástio Mosquito, Kimi Djabaté, entre outros nomes, vão assim levar géneros tradicionais e sonoridades modernas à Cidade do Rock, no Parque da Bela Vista, em Lisboa.

África do Sul, Angola, Cabo Verde, Gana, Guiné-Bissau, Zimbabué, Mali, Guiné-Conacri, Mauritânia, Moçambique e República Democrática do Congo são alguns dos vários países que estarão representados na EDP Rock Street que, nesta edição, usa a música, a arquitetura e os espetáculos de rua para mostrar "a riqueza cultural do mais velho continente do mundo", avança a organização do Rock in Rio Lisboa. O objetivo é promover um ponto de encontro de povos e culturas, de estilos e géneros, acrescenta.

Para Roberta Medina, Vice-Presidente Executiva do Rock in Rio, “a Rock Street é já um sucesso consolidado junto dos visitantes da Cidade do Rock, que a cada edição encontram nesta rua manifestações artísticas e performances ímpares, além de se apresentar como um espaço privilegiado de festa, onde o público se sente ainda mais envolvido, podendo interagir com o espetáculo e com os próprios artistas”.

Tradição convida modernidade

A 23 de junho, o palco da EDP Rock Street estreia-se com o reportório de Kimi Djabaté, seguindo-se o género musical gumbé de Tabanka Djaz, terminando o primeiro dia ao som de Bonga.

O dia 24 de junho arranca com o hip hop com samples de ritmos tradicionais de Cabo Verde de Karlon, seguindo-se o rock-rumba e funk futurista de Baloji e, ainda, Ferro Gaita, cujo nome surge da combinação de dois instrumentos utilizados na música tradicional de Cabo Verde.

O segundo fim de semana arranca com o rock e da música eletrónica de A’Mosi Just a Lable (Jack Nkanga), seguindo-se o músico, performer, poeta, videasta e artista plástico Nástio Mosquito com a sua DZZZZ band. Para encerrar o dia 29 de junho sobe ao palco Moh! Kouyaté, com uma música que reflete a vivência urbana e cosmopolita.

No último dia do festival, 30 de junho, a EDP Rock Street fica a cargo das letras em changana e em chope (línguas de Moçambique) de Selma Uamusse, seguindo-se a sonoridade moderna de Batuk e, para fechar, Paulo Flores, uma das principais referências da música angolana.

A outra música da Cidade do Rock

O Rock in Rio regressa ao Parque da Bela Vista, em Lisboa, nos dias 23, 24, 29 e 39 de junho - um mês depois do habitual. No primeiro dia (23 de junho), Muse, Bastille, HAIM e Diogo Piçarra prometem animar a Cidade do Rock. Já Bruno Mars, Demi Lovato, Anitta e Agir sobem ao Palco Mundo a 24 de junho.

No segundo fim de semana, no dia 29, The Killers, The Chemical Brothers e os James são os cabeças de cartaz do Rock in Rio Lisboa. Já no último dia, o Parque da Bela Vista recebe Katy Perry, Jessie J, Ivete Sangalo e Hailee Steinfeld.

Além do palco Mundo, a nova Cidade do Rock vai contar com várias novidades e novos espaços de entretenimento, além de mais horas de entretenimento diário (o recinto abrirá portas às 12h00 e encerrará às 02h00).

Os bilhetes diários estão disponíveis nos locais habituais, pelo valor de 69 euros. Para este fim de semana (29 e 30 de junho) os fãs ainda podem adquirir passes garantindo, assim, a entrada nos dois últimos dias do festival pelo valor de 117 euros.

Fotos: Lawson Daku e Rita Carmo