14 horas de música por dia – das 12h às 02h – com uma programação surpreendente que conta com Somersby pool parties, concertos de grandes nomes da música portuguesa e festas que prometem roubar a noite. Capitão Fausto, Carlão, Carolina Deslandes, HMB, Manel Cruz, Anavitória, Língua Franca com Sara Tavares e Blaya são alguns dos nomes a estrear o Music Valley. Durante a noite, este vale de música vai dar palco a nomes como Vintage Culture, Moullinex, Da Chick, DJ Vibe, Mishlawi, Karetus, entre outros, além de receber uma das mais famosas festas da atualidade – Revenge of the 90´s

O Music Valley chegou ao Rock in Rio-Lisboa para conquistar o coração dos habitantes da Cidade do Rock! Neste palco non-stop, cujo nome é inspirado na própria arquitetura natural do Parque da Bela Vista - e no facto de se localizar num vale -, há 14 horas de música por dia e uma programação diversa e surpreendente, com espaço para as famosas Somersby pool parties, que esta edição estão de volta e ainda maiores, passando por concertos de grandes nomes da música portuguesa e, ainda, festas de música eletrónica que prometem animar a noite e trazer, a este vale, DJ’s consagrados e conceitos inovadores!

Neste vale que vai certamente (en)cantar, a música vai fazer-se ouvir das 12h00 às 02h00, isto é, durante todo o horário de funcionamento do festival. Ao longo dos quatro dias do Rock in Rio-Lisboa, são vários os nomes que vão passar pelo Music Valley, proporcionando ao público as mais variadas formas de viver a música e promovendo a interação entre diferentes estilos, géneros e gerações.

Assim que as portas da Cidade do Rock abrem, a festa começa no Music Valley com as célebresSomersby Pool Parties. Depois do sucesso na edição de 2016, estas festas – inspiradas nas famosas pool parties de Las Vegas, por onde o Rock in Rio passou em 2015 - estão de volta e ainda maiores! Há mais horas de pool parties por dia com a animação a começar logo às 12h00, oferecendo assim aos visitantes do recinto a oportunidade única de darem um mergulho em pleno ambiente de Rock in Rio, ao som de vários DJ’s.

A curadoria musical das Somersby Pool Parties fica a cargo da MegaHits e pode esperar-se muitas novidades em breve!

Ainda antes do sol de pôr, seguem-se concertos especiais de grandes nomes da música cantada em português. Carolina Deslandes, HMB, Capitão Fausto, Manel Cruz, Carlão, Anavitória,Língua Franca com Sara Tavares e Blaya são algumas das vozes incontornáveis do momento que, em junho, vão subir ao Music Valley para mostrar o que de melhor se faz no panorama da música atual.

Carolina Deslandes – É uma das maiores artistas da actual geração de cantores e compositores portugueses. Tem trilhado um percurso meteórico desde a sua estreia, afirmando-se como uma das maiores referências não apenas no universo digital mas também na música nacional contemporânea. Em 2018, Carolina volta em força, abraçando uma nova etapa que inclui o lançamento do segundo disco para a primavera deste ano.

HMB -  Lançaram o primeiro disco em 2012 e foi um imediato sucesso. Soul, RnB, jazz, funk e hip hop são algumas das variantes que os definem. Cantam sempre em português e trazem um groove que os caracteriza a todos os concertos que fazem, e já são muitos pelos palcos portugueses que pisaram.  Pela primeira vez no Rock in Rio Lisboa, prometem fazer dançar e sentir, num ano de comemorações dos 10 anos de carreira.

Capitão Fausto - “Somos uma banda de Lisboa”: a simplicidade com que a banda se descreve desarma qualquer um. Porque é assim que se sentem e vivem. Os cinco amigos, Tomás, Salvador, Francisco, Manuel e Domingos tem o seu primeiro capítulo em 2011 com “Gazela”- álbum de estreia. Em 2016, “Capitão Fausto Tem Os Dias Contados” superam todas as expectativas com os pouco mais de 30 minutos de música e palavras, em modo pop recheado de primor e requinte que, no fundo, contam as estórias de vida de cada um.

Manel Cruz - Poucas figuras da história da música portuguesa se aproximarão do emblemático Manel Cruz. Se lhe é atribuído o cunho de ser um dos mais naturais contadores de estórias, também detém a patente de fazer das tripas coração desde o início da sua carreira, já desde os tempos de Ornatos Violeta e de quando o seu nome saía naturalmente das bocas do Mundo.

Carlão - Habituado a pisar grandes palcos, Carlão conta com um vasto reportório no mundo da música, que já o fez viajar por diferentes esferas do panorama artístico. Com uma presença nacional muito forte que marca o pop rock português, o artista traz na bagagem o álbum “Quarenta”, o EP “Na Batalha” e ainda um novo álbum que sairá em Maio de 2018. Num concerto direcionado não apenas para os pés mas também para a cabeça.

AnaVitoria  - Ana Caetano e Vitória Falcão compõem a dupla de brasileiras que começou com performances no Youtube. Ambas com influências musicais na família, definem o seu estilo como “pop rural”, com uma naturalidade inacreditável entre o urbano e o rural, entre o pop e o sertanejo, entre a cidade e a natureza. Elas são folk e são pop, criam algo que concilia os dois mundos e que contribui para novos caminhos estéticos na música brasileira. O álbum de estreia em 2016 foi um grande sucesso!

Língua Franca com Sara Tavares - Emicida e Rael, rappers brasileiros, em conjunto com a portuguesa Capicua são o trio que compõe Língua Franca, uma celebração da língua comum entre os dois países. Os dois lados do Atlântico partilham a sua paixão pelo rap, misturando-o com outras sonoridades que lhes são igualmente familiares, todas elas com um elo comum: a língua portuguesa espalhada pelos quatro cantos do Mundo. Para o dia 24 de Junho, a banda convidou Sara Tavares, que também participou no disco com o tema “Afrodite”.

Blaya - Depois do seu trajeto impressionante como lead singer dos Buraka Som Sistema, uma das bandas de referência da música portuguesa, Blaya, estreia-se agora a solo. Nascida no Brasil, vive em Portugal desde pequena, onde lhe corre no sangue influências do Funk brasileiro e outros sons urbanos de Lisboa. Em 2018, Blaya prepara-se para fazer história com um novo álbum, com uma sonoridade irresistível a que a mesma chama de Funk de Europa.